MUCURI-BA - Mulher de 92 anos pode ter sido enterrada viva.

29/11/2012 09:14

 

 

 

Um coveiro afirma ter ouvido gritos com pedidos de socorro vindo da cova da idosa.

O caso aconteceu no dia 20 de novembro e causou um grande burburinho no pequeno distrito de São Jorge, em Mucuri, no extremo Sul da Bahia. De acordo com informações de um coveiro do cemitério local, Francisca Botelho Barbosa, 92 anos, pode ter sido sepultada ainda viva. Ele afirma ter ouvido batidas de dentro do caixão da idosa durante a finalização do sepultamento, algo parecido com um pedido de socorro.

Francisca faleceu na madrugada do dia 20, e foi examinada por um médico do município, que expediu a guia de sepultamento e atestou a morte como causa natural. O falecimento foi comunicado ao Departamento de Polícia Técnica em Teixeira de Freitas e o rabecão se deslocou ao distrito para remover o corpo para Instituto Médico Legal teixeirense, no entanto, quando os funcionários do IML chegaram a São Jorge, Francisca já havia sido sepultada.

O enterro aconteceu por volta das 20 horas do dia 20 e chovia bastante, o que impossibilitou a finalização do trabalho de fechamento da sepultura. No dia seguinte, pela manhã, o coveiro, que ainda não teve o nome divulgado, finalizava o sepultamento quando teria escutado algumas batidas que ele afirma ter vindo de dentro do caixão como forma de pedidos de socorro. Com medo ele fugiu do local e contou o ocorrido à família da idosa. Alguns parentes queriam abrir a sepultura, algo que só podiam fazer sob decisão judicial.

O caso chegou ao conhecimento da delegacia de Mucuri, onde o coveiro reafirmou ter ouvido as batidas, a mesma versão também foi apresentada ao Ministério Público e o Poder Judiciário expediu a autorização para exumação do corpo.

Na manhã desta terça-feira, 27, o coordenador do Departamento de Polícia Técnica, Manoel Garrido, comentou o caso, no momento da entrevista, a ordem para exumação, que deve ser realizada na próxima terça-feira. O corpo será retirado da sepultura e levado para o IML de Teixeira de Freitas, onde passará por exames de necropsia que irão dizer se Francisca realmente teria sido enterrada viva, um médico legista e o perito criminal plantonista deverão realizar os procedimentos.

 

Fonte: Repórter Tatu/ Informações do Sul Bahia News.

Por: MURILO MOURA DRT/BA 4157


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!